Notícias Gerais

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O CÂNCER DE PRÓSTATA

Menos brincadeiras, mais exames

O câncer é definido pelo crescimento rápido e totalmente desordenado das células, que com o tempo adquirem uma estrutura a ponto de se multiplicar, seja de forma rápida ou lenta. O câncerou neoplasia (como é chamado em termos médicos) possui a capacidade de espalhar-se para diversas partes do corpo denominada metástases.

O câncer de próstata afeta a próstata do homem, uma glândula do tamanho de uma noz localizado abaixo da bexiga e na frente do reto e da uretra, o canal que transporta a urina e passa através dela.

A próstata produz grande parte do sêmen do homem, um líquido espesso que contém propriedades que protegem o esperma (espermatozoides), líquido liberado durante a ejaculação do homem.

Os hormônios masculinos possuem propriedades  específicas e fazem com que a próstata se desenvolva no feto e vai crescendo a medida que um menino se torna adulto.

Quando a taxa de hormônios é baixa, a glândula (próstata) não vai atingir as dimensões totais do seu tamanho. Frequentemente em homens acima de 65 anos, parte da glândula em torna da uretra cresce continuamente, isso pode causar a HPB (Hiperplasia Prostática Benigna).

A próstata é constituída por diversos tipos de células, a maioria dos cânceres de próstata tem sua origem nas células das glândulas que produz o líquido seminal do homem. Eles são chamados de adenocarcinomas.

Parte deste tipo de câncer está em queda pois está sendo diagnosticada mais rapidamente e precocemente.

 

 

 
 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Será que você é um nomofóbico e não sabe? Apresentamos quatro dicas para se relacionar melhor com a tecnologia sem se desconectar do mundo.

Se você não depende, hoje, de um celular conectado à internet para um monte de coisas do dia a dia, das duas uma: ou você não é lá muito chegado em tecnologia (o que não é necessariamente ruim), ou é muito evoluído, afinal, uma vez que desfrute das vantagens e da praticidade que um smartphone pode oferecer, quem consegue voltar atrás?

Apesar de extremamente positivo em inúmeros aspectos, o avanço da tecnologia também tem um lado negativo e que tem feito muita gente perder o rumo e o bom senso. Passamos tempo demais com os olhos grudados na telinha e deixamos de prestar atenção em coisas importantes e aproveitar momentos entre amigos e família. Será que estamos cada vez mais ausentes, mesmo estando presentes?

Isso pode ser nomofobia

Nomofobia é o nome adotado para definir o caso de quem tem medo de ficar sem o celular. Parece bobo, mas não se iluda. Mais que isso, a nomofobia representa o medo de se desconectar do mundo, de não fazer parte do grande fluxo de coisas que acontecem a todo instante. Ela lembra, em parte, a definição da expressão fear of missing out, ou FOMO, em inglês, que é algo como o medo de ficar de fora, de perder alguma coisa — algo a que fomos condicionados de certa maneira pela internet, concorda?

Esse comportamento tem preocupado pesquisadores, médicos e psicólogos dos mais diferentes lugares. Segundo especialistas, a dependência tecnológica é perigosa pelas suas consequências, mas também pela maneira silenciosa como se instala nas nossas vidas: através de estímulos recreativos.

Tudo tem uma explicação mais aprofundada, claro. Como no caso dos videogames, quando vivenciamos as experiências gamificadas e estimulantes preparadas para a interface do smartphone, estamos sujeitos à liberação de dopamina, que desencadeia no organismo sensações de prazer, motivação e euforia. E o pior: precisamos de estímulos cada vez maiores para alimentar essa dependência.

É quase automático

Quando vivencia uma situação desagradável no cotidiano, seja ela qual for, é muito provável que a maioria das pessoas tente se ocupar com o smartphone se ele estiver por perto, ao alcance das mãos. Se pararmos para pensar, vamos nos dar conta de que isso é assustador, afinal, reduz a nossa capacidade de lidar com os problemas e de nos relacionar com outras pessoas.

E é então que a gente se pergunta: a tecnologia não deveria estimular justamente o contrário?

Como lidar com a nomofobia?

Quem quer aproveitar mais a vida e se relacionar de maneira produtiva e positiva com a tecnologia precisa se acostumar a fazer alguns exercícios simples, mas que demandam um certo esforço.

Falar que você precisa controlar a ansiedade e se conscientizar de que não vai perder muita coisa se ficar um tempinho desconectado é óbvio, mas não tão efetivo quanto estas dicas:

1. Elimine os aplicativos das redes sociais que mais tomam o seu tempo. É uma medida drástica, mas menos radical que apagar as contas, certo? Volte a tê-los somente quando se acostumar à vida sem eles.

2. Aprenda a viver sem a interrupção das notificações. Desative a maioria e mantenha só as que você realmente precisa — inclusive, se puder, apenas aquelas vindas de pessoas específicas, para as quais você realmente quer estar disponível o tempo todo.

3. Deixe para se atualizar no fim do dia, quando estiver livre, mais calmo e relaxado.Evite usar qualquer pausa no meio da tarde para checar as últimas do feed do Instagram. Poupe a ansiedade e a sua conexão de dados.

4. Na hora de dormir, deixe o celular longe. Nada de dar um gelo no soninho que já vinha chegando com o brilho da tela do smarpthone. Além disso, tendo que se levantar para desligar o despertador você ainda se força a acordar na hora certa.

Estas são apenas algumas dicas e, claro, cada pessoa tem um jeito de tentar viver menos dependente do smartphone. O bom, no fim das contas, é que, se conseguir seguir essa proposta, você vai ter reaprendido a estar presente e vivenciar o que realmente importa, e isso não tem preço!

E você, como faz para lidar com a vontade de usar o celular o tempo todo? Você se considera um nomofóbico? Comente com a sua opinião!

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Conheça as nossas cinco indicações de jogos gratuitos de super-heróis para Android

Seja da Marvel ou DC, todo mundo ama super-heróis. Eles estão na TV, no Netflix, no cinema e também nos smartphones. Com a crescente popularização dos filmes de super-heróis nas telonas, o mercado de games mobile também deu uma grande atenção para o tema e listamos vários jogos indispensáveis para quem gosta do assunto. Confira!

1. Injustice: Gods Among Us

Todo fã da DC sabe o valor que a Liga da Justiça tem para as histórias e tramas da editora. Porém, o que aconteceria se os heróis mais poderosos do planeta decidissem governar a Terra de forma tirânica e sob o comando do Super-Homem? Com uma história bem amarrada, animações de luta incríveis e dublagem de alta qualidade, Injustice: Gods Among Us é indispensável para quem gosta de jogos de luta e super-heróis.

2. Marvel Torneio dos Campeões

Agora, se a sua favorita é a Marvel e os Vingadores, nada melhor do que Marvel Torneio dos Campeões  para se divertir. O jogo de luta possui uma variedade bem grande de personagens da Casa da Ideias e traz uma trama inédita bastante envolvente. Além disso, as combinações de times de heróis dão um toque especial digno de Guerra Civil!

3. Homem-Aranha Sem Limites

O Amigão da Vizinhança também merece seu espaço em nossa lista. Sendo um dos super-heróis mais queridos e engraçados de todos, o Homem-Aranha tem um jogo próprio que lembra muito suas aventuras em desenhos animados. Corra por New York, enfrente o Sexteto Sinistro e salve o dia com o Cabeça de Teia!

4. LEGO DC Super Heroes

O mundo DC, por si só, já é um universo rico para ser explorado. Mas e se misturássemos ele com o tradicional humor dos games de LEGO? Em LEGO DC Super Heroes, você mistura heróis e vilões em um jogo muito divertido e recomendado para todas as idades.

5. Mix+Smash: Marvel Mashers

Já pensou em misturar as características dos seus heróis preferidos? Cabeça do Homem de Ferro com o corpo do Hulk e o escudo do Capitão América? Em Mix+Smash: Marvel Mashers, você pode juntar diversos super-heróis em um só e enfrentar os vilões mais poderosos do universo Marvel!

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Mudanças devem deixar o Messenger mais parecido com o Snapchat

Vazou esta semana a primeira imagem de teste de uma função que deve tornar oMessenger, aplicativo de mensagens do Facebook, mais parecido com o Snapchat, a rede social de vídeos instantâneos. A ideia é permitir que usuários troquem mensagens com uma espécie de “prazo de validade”, que somem depois de um tempo (sempre determinado pela pessoa antes do envio).

A novidade, que já havia sido testada entre usuários do Messenger na França, parece ganhar terreno em outros países enquanto é ajustada para seu lançamento definitivo, para todos, num futuro não muito distante. Além disso, é uma resposta clara ao crescimento do Snapchat, que tem conquistado números impressionantes.

As equipes de Mark Zuckerberg têm corrido atrás de novidades a um ritmo estonteante — tudo com o intuito de dotar seus produtos das qualidades mais notáveis de seus concorrentes, estimulando um engajamento cada vez mais forte entre as pessoas e a rede social mais famosa do mundo. E você, o que acha disso? Será que o Messenger será capaz de brigar com o Snapchat?

Pensamento

A única maneira de fazer um bom trabalho é amando o que você faz. Se você ainda não encontrou, continue procurando. Não se desespere. Assim como no amor, você saberá quando tiver encontrado.

Search